NUTRIÇÃO - Dieta para "workaholics"

Nutrição
Dieta para "workaholics"

As pessoas cuja atividade profissional é muito intensa têm, muitas vezes, dificuldade em praticar uma alimentação equilibrada e saudável. O objetivo deste artigo é ajudar a conciliar o sucesso profissional com uma imagem corporal que seja sinónimo de saúde.

Praticar uma alimentação equilibrada, para aquelas pessoas que vivem imersas no trabalho, não só é dificil, como acaba por tornar-se uma miragem. Elas vivem diariamente uma rotina stressante e desregrada. Trabalho, reuniões, webinars, universidade, cursos, projetos, encontros socioprofissionais… Parar é uma palavra e uma ação que não existe no dicionário e na vida destas pessoas. No meio de tanta agitação, o organismo tem de estar em forma e, acima de tudo, muito bem alimentado. Mas como é que alguém consegue praticar uma dieta saudável, se não tem mais do que uns minutos para comer, entre uma reunião e outra? Será possível conciliar o sucesso profissional com uma imagem corporal que seja sinónimo de saúde?

MULHERES SÃO AS MAIS VULNERÁVEIS

Os “workaholics” – as pessoas viciadas no trabalho – são as mais vulneráveis ao risco de terem uma alimentação desregrada. Principalmente as mulheres “sofrem” devido ao excesso de trabalho, têm pouco tempo para praticar exercício físico e não comem os alimentos que deveriam; criam hábitos alimentares completamente distorcidos e o pior de tudo sem horários definidos para nada.
Para evitar estes erros, seguem-se algumas situações do dia a dia e as possíveis soluções que podemos dar.

NÃO FIQUE MUITAS HORAS SEM COMER

Ficar muitas horas sem comer é um comportamento bastante prejudicial para a saúde. As pessoas que não conseguem emagrecer “nem uma grama”, devido ao stress e à agitação do dia a dia, normalmente acordam logo com pressa e nem sequer têm tempo para tomar o pequeno-almoço. As horas vão passando e, quando se apercebem que ainda não comeram nada, já são 15h. Nesta altura, acabam por substituir as refeições que não fizeram (pequeno-almoço, meio da manhã e almoço) por um lanche rápido. À noite, chegam a casa famintas, justamente por terem saltado quase todas as refeições. Em consequência, a dispensa e o frigorífico são os alvos perfeitos. Este tipo de comportamentos, ou seja, este perfil de alimentação favorece o aumento do peso, por diminuir o metabolismo e favorecer o consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras, açúcares e sal, logo de calorias.

HORÁRIOS PARA AS REFEIÇÕES

Alterar a rotina de trabalho, para a maioria das pessoas, é algo que não está ao seu alcance; só quem trabalha por conta própria pode ter essa disponibilidade, mas por vezes, por falta de motivação, não o fazem. Porém, melhorar a alimentação é possível! O início desta mudança deve começar pelos horários, ou seja, não se deve ficar por mais de 3 horas sem comer. Se isso acontecer, o organismo começa a “poupar” energia e o metabolismo fica reduzido. E, como o organismo queima menos calorias, gasta menos energia para desempenhar as mesmas funções. Resultado: o indivíduo começa a acumular gordura e a aumentar o peso.

REFEIÇÕES RÁPIDAS, MAS SAUDÁVEIS

Sem tempo para comer, muitas destas pessoas optam por refeições rápidas (do tipo fast-food). As preferências são sempre as mesmas: pizzas, hambúrgueres, salgados, bolos, sobremesas, etc., ou seja, refeições prontas a comer. Esta é a pior opção para “matar” a fome.
A recomendação para estas situações é escolher uma sanduíche de pão integral ou de mistura, com peito de frango ou de peru grelhado, ou de carne assada, guarnecida com umas folhas de alface, rodelas de tomate e cenoura ralada. Para acompanhar, um sumo natural de fruta, sem açúcar adicionado.
Para os intervalos das grandes refeições, opte por trazer de casa fruta (descascada ou não), barrinhas de cereais simples e iogurtes, porque são alimentos fáceis de transportar e que podem comer-se em qualquer altura do dia, sem causar grandes transtornos profissionais. Acima de tudo, estes lanchezinhos são nutricionalmente mais completos do que comer um folhado ou um salgado.

REFEIÇÕES COLORIDAS

É fundamental que as pessoas muito ocupadas consigam fazer, pelo menos, três refeições principais. O ideal é o pequeno-almoço, almoço e o jantar. Dentro das possibilidades, há que intervalar estas refeições com outras mais pequenas: meio da manhã, lanche e ceia.
Para além das refeições, é sempre bom ir diversificando o tipo de alimentos. Assim, pratos coloridos são sinal de uma alimentação saudável. Significa que os diferentes tipos de alimentos nos dão todos os nutrientes de que o organismo necessita. É importante ver representados os alimentos de cada grupo: hidratos de carbono, presentes no arroz, massa, batata; proteínas, presentes nos peixes, carnes e ovos; e gorduras, para confecionar ou temperar, de preferência as insaturadas, como as do azeite e dos óleos vegetais em geral.

TRAGA SEMPRE CONSIGO PEQUENOS LANCHES

Embora as mulheres estejam em vantagem, porque a maioria usa enormes malas, os homens podem igualmente utilizar pastas, mochilas ou mesmo sacos de plástico ou de papel reutilizáveis… Quando se quer muito uma coisa, arranja-se sempre uma solução, certo?
Estes pequenos lanches podem ser de frutas, barrinhas de cereais, iogurtes, tostas, bolachas integrais, sanduíches de queijo ou fiambre, etc.. Alguns destes alimentos podem ser deixados no local de trabalho, sem precisarem de grandes condições de armazenamento. O importante é criatividade na hora de escolher os alimentos para levar consigo. Além disso, levar as refeições de casa para o emprego dá mais certezas quanto à qualidade dos alimentos e à forma como foram confecionados, e fica muito, mas muito, mais económico.

EMENTA SEMANAL OU QUINZENAL

É apenas necessária uma boa capacidade de organização para encarar o desafio de programar a ementa da semana. Por outro lado, esta programação permite controlar o orçamento semanal, quinzenal ou mensal destinado à alimentação. Compras sem um bom planeamento podem desmotivar qualquer pessoa que deseje emagrecer. O ideal é comprar apenas o que será consumido, sem cometer excessos. Assim, elaborar a ementa com antecedência é a chave para um emagrecimento bem-sucedido e seguro.

Sete grupos fundamentais

  • CARNES, PEIXES E OVOS
    Proporcionam proteínas de elevada qualidade, ferro e vitaminas do complexo B. São preferíveis as carnes magras e brancas (frango e peru) e o peixe. Em relação aos ovos, um número de 3 por semana é considerado adequado. Convém limitar ao mínimo o consumo de carnes gordas e de enchidos.
  • LEITE E DERIVADOS
    Proporcionam cálcio e proteínas de elevada qualidade. São preferíveis os derivados lácteos e os queijos menos ricos em gordura.
  • CEREAIS, DERIVADOS E TUBÉRCULOS
    Proporcionam hidratos de carbono complexos (amido), proteínas de qualidade média e vitaminas do complexo B. Convém escolher produtos menos refinados e mais ricos em fibras.
  • LEGUMES E LEGUMINOSAS
    Proporcionam fibras, elementos minerais (ferro e outros) e proteínas de qualidade média, as quais, em combinação com as dos cereais, atingem um nível qualitativo comparável ao das proteínas do primeiro e segundo grupos. Alternar feijões, ervilhas, grão-de-bico, lentilhas, etc.
  • ÓLEOS E GORDURAS COMO CONDIMENTO
    O seu consumo deve ser controlado e limitado; de qualquer forma, são preferíveis os óleos de origem vegetal às gorduras de origem animal (manteiga, natas, banha de porco). O azeite é a melhor gordura.
  • HORTALIÇAS E FRUTAS (FONTES DE VITAMINA A)
    As de cor amarelo-alaranjada ou verde-escura são importantes fontes de vitamina A, assim como de outras vitaminas, elementos minerais e fibras.
  • HORTALIÇAS E FRUTAS (FONTES DE VITAMINA C)
    Citrinos, kiwi, tomate e pimento, principalmente, são fontes abundantes de vitamina C, mas também contêm outras vitaminas, minerais e fibras.

 

Como é que alguém consegue praticar uma dieta saudável, se não tem mais do que uns minutos para comer, entre uma reunião e outra? Levar o almoço de casa, para além de ter mais certezas quanto à qualidade dos alimentos e à forma como foram confecionados, fica muito, mas muito, mais económico.

logo saude be